Lembra do Idoso Surdo, Autista com Mal de Alzheimer, Preso apos entrar em sala de delegada por engano? Veja que fim levou

608

Idoso surdo e portador de Alzheimer é preso por entrar em sala de delegada

Ele estava na delegacia acompanhando a filha e errou o caminho do banheiro. A delegada o prendeu em flagrante por desacato à autoridade

 

  • Justiça manda arquivar caso de idoso que invadiu sala de delegada em Gravataí

A  2ª Vara Criminal de Gravataí, através da juíza Luciana Barcellos Tegiacchi arquivou o processo contra o idoso de 65 anos que por engano invadiu a sala de uma delegada em Gravataí. Um laudo comprovou que ele possui diversas limitações como surdez, mal de Alzheimer e epilepsia.

Entenda o caso:

Uma história absurda foi vivida por um idoso no Rio Grande do Sul. Uma delegada de Gravataí mandou o homem para a prisão, em flagrante. E tudo isso porque ele, por engano, errou o caminho do banheiro e acabou entrando na sala dela. Detalhe: o idoso é surdo, portador de autismo e sofre de Alzheimer.

De aparência frágil, consequência de uma série de doenças, o senhor tem 65 anos, é deficiente auditivo, sofre de perda de memória, causada pela Doença de Alzheimer, é autista e tem crises epiléticas.

Na época do caso, a filha dele procurou uma delegacia de Gravataí para registrar uma ocorrência. Ela levou o pai junto, porque ele não pode ficar sozinho. Na delegacia, o idoso errou o caminho do banheiro: “O pai entrou na sala da delegada enganado. Ela começou a agredir ele com palavras, começou a chamar de louco e ele não ouviu ela pedir pra ele sair. Ela começou a chutar ele. E aí chamou os outros policiais e eles derrubaram ele, algemaram”, conta a filha.

As mãos e os braços ficaram marcados pelas algemas, como mostram fotografias e laudos do atendimento ambulatorial que constatou agressão com trauma em mãos.

A filha conta que tentou alertar os policiais e mostrou documentos que provam que o idoso é interditado judicialmente. “Eles não me deram nenhuma chance de explicar, nenhuma chance da gente se defender. E aí ficou debochando do pai, o tempo todo. Perguntando se ele tinha advogado. Todos eles riam. E dizendo para ele que se ele estragasse a algema, ele teria que pagar outra”.

O idoso foi preso em flagrante, acusado de desacato à autoridade e resistência. Foi levado para uma cela da delegacia de Gravataí, onde passou a noite, sem contato com a família. No dia seguinte, a filha foi tentar falar com o pai, quando soube de um absurdo ainda maior: ele havia sido transferido para o presídio central, em Porto Alegre.

Braço do idoso Lesionado apos a confusão

O advogado da família, Rodrigo Cabral, disse que o idoso chegou a ser levado para as galerias, junto com outros presos. “Ninguém pode bater em um senhor idoso, o Estatuto do Idoso está aí. E segundo: prender alguém que é interditado, com Alzheimer, com problemas mentais, e mandá-lo para o central. Se achasse [necessário], que mandasse para o hospital psiquiátrico”.

O homem só foi liberado mais de 12 horas depois. Na decisão, a juíza homologou o flagrante, mas concede liberdade provisória, por ele ser portador de transtornos mentais e comportamentais, além de ser interditado.

Ainda na época do caso, a corregedoria da Polícia Civil estava investigou a conduta dos policiais da delegacia de Gravataí envolvidos no caso, conforme afirmou na ocasião, o corregedor-chefe Andrei Vivan: “Nós iremos avaliar qual foi o procedimento adotado pelos policiais e qual foi a conduta dos policiais ao atender essa pessoa na delegacia de polícia”

A filha diz que, desde que saiu do presídio, o pai passou a chorar muitas vezes ao dia. “Ele não tinha reação nenhuma quando saiu de lá de dentro. Ele só se enganou, ele só errou e eles não precisavam ter tido essa atitude com ele”.

Desfecho –  Conforme informado mais acima, as investigações chegaram ao final e a Justiça mandou arquivar caso de idoso que entrou por engano na sala de delegada em Gravataí – A  2ª Vara Criminal de Gravataí, através da juíza Luciana Barcellos Tegiacchi arquivou o processo contra o idoso de 65 anos que por engano invadiu a sala de uma delegada em Gravataí. Um laudo comprovou que ele possui diversas limitações como surdez, mal de Alzheimer e epilepsia.

Fonte Base G1 – Hora 1 –  Giro de Gravatai