“Não podemos pedir impeachment de Bolsonaro só porque não gostamos dele” Diz Lula humildemente

0
1279
COMPARTILHE AGORA!!

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirma que a oposição não pode simplesmente pedir o impeachment de Jair Bolsonaro só por não gostar dele. Em entrevista publicada neste domingo no jornal suíço Le Temps e ao UOL, o petista explicou o objetivo de sua viagem pela Europa a partir desta segundafeira.

Na conversa, apesar das denúncias da ONU, Lula defende Maduro, Evo Morales e diz que o não se pode derrubar um presidente apenas por não gostar de um governo, nem no caso de Jair Bolsonaro.

“Eu tenho alertado o PT ter paciência, porque nós temos que esperar 4 anos”, disse. “A não ser que ele (Bolsonaro) cometa um ato de insanidade, cometa um crime de responsabilidade, a gente então possa fazer o impeachment dele, mas se não fizer isso, nós não podemos achar que nós podemos derrubar um presidente porque não gostamos dele. Não podemos”, defendeu.

Lula ainda afirmou que a “esquerda perdeu o discurso” e que teria, agora, de recria-lo. “Nós perdemos o discurso”, afirmou o ex-presidente, sobre as derrotas eleitorais da esquerda pela Europa e em outras regiões do mundo. “Então eu acho que a esquerda tem que reconstruir o seu discurso”, afirmou.

A entrevista foi realizada em São Paulo, no dia 21 de fevereiro.
Eis os principais trechos da entrevista:
O senhor levou seu caso ao Comitê de Direitos Humanos da ONU. Isso é um sinal de que não confia nas instituições brasileiras?

Não é apenas desconfiança, é a certeza que os meus advogados tiveram durante todo o processo de que não havia um julgamento, havia quase que um massacre de mentiras dos processos contra o Lula. Eu tive oportunidade de quando prestei depoimento ao (então juiz Sérgio) Moro dizer, olha, vocês estão obrigados a me condenarem porque foram tão longe com as mentiras que não tem rota de fuga, você não tem como sair disso.

Esse pacto que foi criado entre o Moro, a grande imprensa brasileira, porque ele visitou todas as redações para dizer às pessoas que a Operação Mãos Limpas dele só ia dar certo se a imprensa condenasse as pessoas antes, porque depois que a imprensa condena fica muito fácil qualquer um dar a sentença porque é um julgamento com base na formação negativa da opinião pública, e um juiz não pode se valer da opinião pública, um juiz tem como condição sine qua non para fazer um julgamento justo as provas e os autos do processo.

Mas o sr. foi condenado em diferentes instâncias e as investigações continuam. Ainda assim, acha que a ONU precisa lidar com seu caso?

A impressão que eu tenho é que foi montada uma quadrilha para transformar um inocente num chefe de quadrilha. Para a minha condenação o procurador utilizou um power point que não dizia nada com nadaFicou uma hora e meia apresentando o power point. Depois do power point, depois de dizer que era uma formação de quadrilha ele diz: não me peçam provar, eu só tenho convicção. Só por isso ele deveria ter sido exonerado, a bem do serviço público. Não, não foi. Eu imaginei que o Moro que apresentava-se na imprensa como uma pessoa justa, séria, fosse recusar a acusação. Não. Não só aceitou como me
condenou por um crime chamado fato indeterminável.

Mais recentemente a justiça federal do Brasília anulou a acusação de formação de quadrilha, o chamado quadrilhão. Ora, quando a justiça federal anula o quadrilhão era pra ter caído a questão do power point. É por isso que nós estamos reivindicando no Tribunal Superior Federal a anulação das decisões contra mim.

E por isso que os meus advogados brigaram e vão continuar brigando, porque eu tenho convicção absoluta de que nós temos compromisso com esse país de fazer com que a verdade prevaleça. Esse país não pode, no século XXI, ser vítima da mentira da Lava Jato.

Fonte UOL  – Jamil Chade Colunista UOL

COMPARTILHE AGORA!!