Ao Tomar bebidas alcoólicas atraímos espíritos perturbados?

0
5441
COMPARTILHE AGORA!!

A bebida alcoólica é um tipo de droga que pode viciar o indivíduo e causar várias doenças como cirrose hepática, hepatite, fibrose, anemia, aumento de pressão sanguínea,  lesões no pâncreas e estômago, entre outras. O espiritismo não proíbe beber, porém alerta a importância termos o controle sobre a bebida e conhecermos como nosso organismo reage a ingestão do álcool, pois seus danos são comprovados pela medicina.

Para o espiritismo, a morte decorrente dessas doenças provocadas pela bebida alcoólica é categorizada como suicídio inconsciente, que é a morte de seu corpo causada pela sua negligência durante a encarnação. O alcoolismo pode também atrapalhar totalmente a sua vida, pois o vício infere diretamente na sua relação com as pessoas, trabalho, te faz ficar refém da bebida.

Tem que ser da consciência do espírita que a ingestão de bebidas pode atrair espíritos que irão se aproveitar dessas energias como obsessores. Eles irão se aproveitar das suas fraquezas, incentivar cada vez mais a ingestão e te influenciar negativamente com brigas, excessos e ações que podem colocar sua vida e a de outros em risco. Temos como exemplos a violência doméstica e os acidentes de carro e moto que podem gerar morte dos envolvidos além de gerar consequências em próximas encarnações.

Os espíritos obsessores sentem o prazer através de suas energias captando a sua frequência de pensamentos sentindo o mesmo prazer que você. Os obsessores podem ter sido alcoólicos em suas vidas passadas e por isso ainda estão presos a Terra, tentando alimentar seu vício praticando o vampirismo nas pessoas. Outro caso pode ser de espíritos vingativos que querem de fato desgraçar a vida do encarnado e escolhem a bebida como um desses meios.

Existem dois grandes grupos de pessoas no mundo: as que podem beber, e as que não podem.

As que podem beber são aquelas que vão a uma festa, aniversário, casamento, batizado, seja lá qual for, mas não se envolvem diretamente com o álcool. Se lhe servem um copo de cerveja, elas até tomam, mas de repente passam a tomar um refrigerante e esquecem que estavam bebendo cerveja. Não é compulsivo nelas.

Os que não podem beber, “mas bebem”, são os primeiros a chegarem a uma festa e os últimos a saírem.Ficam sempre perto dos garçons. Seus copos sempre estão cheios. Ficam impacientes, pois se preocupam em saber se a bebida vai ser suficiente (se não lhes faltará).

Estão num grau etílico violento e dizem que bebem “socialmente”.

Para muitos, o beber socialmente é beber uma cerveja; para outros, é beber meia dúzia. Portanto, verificamos que “beber socialmente” não existe, e se configura como a grande desculpa da sociedade para poder beber. O álcool, esta chaga da humanidade, não convive com a felicidade.

Se o álcool adentra a porta da frente de sua casa, a felicidade sai por outra.

O grande problema do alcoolismo é como tratá-lo.

Nós acreditamos particularmente que os “GRUPOS DE APOIO” são de fundamental importância no tratamento do 11 alcoólatra. Mas o principal é que o alcoólatra aceite o tratamento.

Existem vários grupos de apoio, tais como os Alcoólatras Anônimos (AA) e os grupos adventistas, entre outros.

Pastor é bom para ajudar o alcoólatra?Sim. Padre é bom para ajudar o alcoólatra?Sim. A Casa Espírita é boa para ajudar o alcoólatra?

Sim. Mas, se o alcoólatra não quer ser ajudado, todo e qualquer trabalho cai por terra.

– Movimento Espírita de Recuperação da Autoestima e, finalmente, o GRAAL

– Grupo de Recuperação de Alcoólatras André Luiz.

É no grupo que o alcoólatra vai tomar consciência de que é um doente crônico.

– CONSCIENTIZAÇÃO: somente através da conscientização o alcoólatra deixa de beber. No momento em que ele entende ser um doente alcoólatra, passa a ter consciência de que deverá se afastar do álcool, o único caminho para a sua libertação.T

A bebida alcoólica é um tipo de droga que pode viciar o indivíduo e causar várias doenças como cirrose hepática, hepatite, fibrose, anemia, aumento de pressão sanguínea,  lesões no pâncreas e estômago, entre outras. O espiritismo não proíbe beber, porém alerta a importância termos o controle sobre a bebida e conhecermos como nosso organismo reage a ingestão do álcool, pois seus danos são comprovados pela medicina.

Para o espiritismo, a morte decorrente dessas doenças provocadas pela bebida alcoólica é categorizada como suicídio inconsciente, que é a morte de seu corpo causada pela sua negligência durante a encarnação. O alcoolismo pode também atrapalhar totalmente a sua vida, pois o vício infere diretamente na sua relação com as pessoas, trabalho, te faz ficar refém da bebida.

Tem que ser da consciência do espírita que a ingestão de bebidas pode atrair espíritos que irão se aproveitar dessas energias como obsessores. Eles irão se aproveitar das suas fraquezas, incentivar cada vez mais a ingestão e te influenciar negativamente com brigas, excessos e ações que podem colocar sua vida e a de outros em risco. Temos como exemplos a violência doméstica e os acidentes de carro e moto que podem gerar morte dos envolvidos além de gerar consequências em próximas encarnações.

Os espíritos obsessores sentem o prazer através de suas energias captando a sua frequência de pensamentos sentindo o mesmo prazer que você. Os obsessores podem ter sido alcoólicos em suas vidas passadas e por isso ainda estão presos a Terra, tentando alimentar seu vício praticando o vampirismo nas pessoas. Outro caso pode ser de espíritos vingativos que querem de fato desgraçar a vida do encarnado e escolhem a bebida como um desses meios.

A bebida pode causar muitos males, tanto a saúde, quanto ao espírito. Temos que ter controle e entender que os seus excessos são prejudiciais, além de saber que podemos estar sujeitos aos espíritos obsessores viciados que são atraídos por elas. Portanto devemos evitar as bebidas alcoólicas aprendendo sobre seus efeitos e entendendo que ela não fará nenhum bem, nem trará alguma alegria ou irá tirar seus problemas.

COMPARTILHE AGORA!!