Se você se sente atraído por lobos, Leia isso….

0
155
COMPARTILHE AGORA!!

Os lobos têm uma longa história de convivência com os seres humanos. Sabe-se que eles provavelmente foram os primeiros animais a serem domesticados pelo homem, dando origem aos cães domésticos há milhares anos — em um processo que ainda gera muitas discussões entre os pesquisadores.

Seus característicos uivos inspiraram incontáveis lendas e, apesar de raramente atacarem pessoas, seu grande tamanho e força, grande inteligência e a forma como as alcateias são organizadas — seguindo hierarquias estritas e bem definidas — acabaram por consolidar a ideia de que esses animais são um inimigo perigoso.PUBLICIDADE

Portanto, não é de se estranhar que graças a essa relação de amor e ódio com humanos, os lobos tenham aparecido como deuses na mitologia nórdica, estejam associados ao surgimento de Roma — alimentando os fundadores de Roma, Remo e Rômulo, lembra? —, e sejam protagonistas malvados em contos como “Chapeuzinho Vermelho” e “Os Três Porquinhos”. E nem vamos tocar no assunto dos lobisomens!

No entanto, também existem muitos fatos interessantes sobre os lobos que muita gente desconhece. Assim, que tal saber um pouco mais sobre esses animais? Confira:

1 – Canibalismo

Os lobos são animais carnívoros e, em muitos casos, vivem em locais nos quais não existe muita abundância de caça. Assim, extremamente oportunistas, eles nunca desperdiçam uma boa oportunidade de forrar os estômagos, mesmo que isso signifique devorar indivíduos da própria espécie.

Portanto, é comum que os lobos se alimentem de membros da própria alcateia que estejam gravemente feridos ou que tenham morrido. Além disso, quando grupos rivais se encontram, frequentemente eles se enfrentam em batalhas letais nas quais muitas vezes os machos alfa acabam morrendo — e virando comida dos próprios descendentes.

2 – Parentesco

Um estudo realizado pela Universidade de Stanford revelou que os lobos negros contam com essa coloração devido a uma mutação que ocorre apenas em cães domésticos. Sendo assim, eles são o resultado da cruza de cachorros com lobos no passado.

Curiosamente, apesar de os pesquisadores não saberem exatamente quais benefícios a pelagem preta oferece, eles descobriram que os lobos dessa cor são mais imunes a determinadas infecções. Essa mutação, assim como ocorre com os seres humanos de cabelos mais escuros, é uma característica dominante que é transmitida para a maioria dos descendentes.

3 – Domesticação

Apesar de não faltarem casos de pessoas que conviveram — ou convivem — com lobos, a verdade é quase impossível que esses animais sejam domesticados. Quando filhotes, seu comportamento é bem parecido ao de cães domésticos, já que eles estão sempre dispostos a brincar e gostam de companhia. Conforme vão crescendo, talvez a principal diferença seja seu apetite, bem maior do que o de seus parentes, os “melhores amigos dos homens”.

Contudo, os problemas costumam começar quando os animais chegam à puberdade. Devido à sua natureza, os lobos entenderão que seus companheiros humanos fazem parte da alcateia e tentarão mostrar quem é que manda no pedaço. Nessa fase, por conta da luta pela hierarquia social, é possível que eles firam — inclusive gravemente — membros da família.

4 – Inteligência social

Ao longo de sua evolução, desde que se separaram dos lobos, os cães mudaram bastante. Ao contrário de seus ancestrais, os cachorros se sentem confortáveis na presença de humanos e são capazes de — pelo menos algumas vezes — seguir nossas ordens. Estudos apontaram inclusive que mesmo filhotes de poucos meses de vida conseguem seguir as direções que apontamos, coisa que os lobos simplesmente não entendem.

Esses aspectos levaram muita gente a acreditar que os cães são mais socialmente inteligentes do que os lobos. Contudo, experimentos realizados por pesquisadores da Universidade de Medicina Veterinária de Viena apontaram que, apesar de os cães terem mais facilidade de aprender com os humanos, os lobos convivem melhor uns com os outros, trabalham bem em equipe e são capazes de aprender com os membros de seu próprio grupo.

Os pesquisadores realizaram alguns testes envolvendo 15 cães e 12 lobos mantidos em cativeiro — e que cresceram juntos —, nos quais todos foram igualmente motivados para solucionar problemas. Um dos experimentos envolvia ensinar um cachorro e um lobo dois métodos diferentes de abrir uma caixa que continha um petisco.

Depois, os pesquisadores permitiram que os outros animais assistissem como os dois que haviam sido treinados obtinham a comida, e observaram como as duas espécies se saíam. Dos 15 cães, apenas 4 foram capazes de abrir a caixa com o petisco, e nenhum deles seguiu qualquer dos dois métodos que haviam sido ensinados. Por outro lado, todos os lobos conseguiram obter a comida, e nove deles copiaram o animal que havia sido treinado.

Mais curiosidades:

  • A mordida dos lobos possui uma pressão equivalente a 680 quilos por polegada quadrada, ou seja, quase o dobro da pressão exercida pela mordida de um cachorro;
  • Os lobos-cinzentos são um dos animais mais estudados do mundo. Sobreviventes da Era do Gelo, eles são os ancestrais dos cães domésticos;
  • Quem domina a alcateia é um macho dominante — alfa — que é seguido de perto por uma fêmea, e muitas vezes esse casal é o único do grupo a procriar. Todos os integrantes ajudam no cuidado dos mais jovens, trazendo alimentos e ficando de olho nos filhotes enquanto os demais adultos estão caçando;
  • Os lobos caçam em grupos de 6 a 10 animais e, ao serem muito inteligentes, todos colaboram para capturar a presa;
  • Para se comunicar com os outros membros da alcateia, os lobos usam várias expressões faciais, sons e movimentos corporais;
  • Quando estão reunidos, os integrantes da alcateia não costumam uivar todos juntos. Um primeiro membro começa o chamado, e vai sendo seguido imediatamente por um lobo de cada vez para dar a impressão de que existem mais animais no grupo do que a realidade;
  • Os uivos servem como uma forma específica de comunicação frequentemente utilizada para reunir a alcateia, detectar a localização de outros lobos e para transmitir sinais de perigo;
  • Os lobos sempre mantém suas cabeças alinhadas na mesma atura do que o resto do corpo, só levantando-a quando eles sentem que existe alguma ameaça por perto;
  •  Às vezes, depois que a alcateia detecta o cheiro de uma possível presa, os integrantes unem seus focinhos e abanam suas caudas em sinal de comemoração antes de atacar;
  • Após matar a presa, o casal alfa é o primeiro a se alimentar, seguido pelos filhotes e, por último, pelos demais integrantes do grupo;
  • A única subespécie que atualmente não está em perigo de extinção é o lobo ártico (Canis lupus arctos) que, durante o inverno, conta com uma segunda camada de pelos que o protegem contra as extremas condições do ambiente;
  • Os lobos nativos de regiões mais próximas ao equador são menores do que os que habitam o hemisfério norte. Aliás, apesar de os lobos cinzentos pesarem — em média — 40 quilos, em 2007, um homem chamado Slavcho Slavchev capturou um exemplar com 80 quilos na Bulgária!
COMPARTILHE AGORA!!